FPS: Além do headshot

FPS: Além do headshot

Muitos games de FPS são ambientados em mapas inspirados em locais reais, mas o jogo nunca vai te contar isso. Continue a leitura e saiba mais sobre isso!

Muitos games de FPS são ambientados em mapas inspirados em locais reais, mas o jogo nunca vai te contar isso. 

Antes de ler o texto, pare e pense na pergunta: Quando você está jogando um game de FPS, você só atira no adversário ou presta atenção nos detalhes em volta do mapa?

Enquanto você pensa, é importante relembrar o que são os games de FPS. Eles nasceram nos anos 80 e explodiram na década seguinte. FPS é a sigla em inglês para First-Person Shooters. Ou seja, jogos em que a visão do personagem é em primeira pessoa. 

Os FPS possibilitam uma maior imersão no gameplay e se tornaram praticamente um sinônimo de games de tiro, mas também existem games de combate corpo a corpo e até RPGs, como o Cyberpunk 2020 (levanta a mão aí quem se decepcionou com ele o/).

Voltando ao primeiro parágrafo, se a sua resposta foi NÃO, então preciso dizer que você está jogando FPS errado. Os produtores de games desse gênero colocam diversos elementos nos mapas, nas skins e até em nomes de armas que são na verdade uma referência – os famosos easter eggs. 

Além disso, muitas vezes os games possuem um cenários pensado nos mínimos detalhes e que não fará tanta diferença na gameplay, mas se você pesquisar poderá tornar a experiência ainda mais imersiva.

WARZONE

O Warzone foi lançado em 2020 como Battle Royale do Call of Duty: Modern Warfare. O jogo se passa no mapa chamado Verdansk, uma cidade fictícia no fictício país da Kastóvia, uma ex-república da União Soviética. Porém de fictício apenas o nome. 

Verdansk é uma releitura de… Donetsk! Uma cidade que na vida real fica na Ucrânia e nos últimos anos esteve envolvida em um confronto armado. Mas é claro que o jogo não vai te contar isso, você só percebe que é Donetsk quando compara fotos do antigo mapa do Warzone (sim, Verdansk explodiu e agora jogamos na sua versão dos anos 80) com os locais reais de Donetsk.

Alguns locais reais são o aeroporto, onde até a sua destruição foi recriada com fidelidade, a característica torre de controle do aeroporto, uma rede de supermercados (a famigerada superstore do game existe na vida real) e o estádio, que na verdade era uma representação da Donbass Arena, casa do Shakhtar Donetsk. 

Inclusive lembra que eu falei que Verdansk explodiu e agora estamos jogando em uma versão de 1984? Bom, os produtores não deixaram isso passar em branco e no local que estava o moderno estádio de futebol, colocaram um estádio antigo, bem raiz, que na verdade é uma representação perfeita do antigo estádio do Shakhtar e que foi demolido em 2004 para a construção da nova arena – o game imitando a vida.

Vale destacar que também existem outros locais da Ucrânia presentes no mapa de Verdansk, como o parlamento ucraniano que fica em Kiev e um centro de natação que é uma referência à tragédia de Chernobyl. 

VALORANT

O Valorant foi lançado em 2020 pela Riot Games e é um FPS tático 5×5. O game possui diversos mapas e todos eles possuem nomes fictícios, mas suas localizações são bem reais.

O mapa Split é uma representação de Shibuya, um famoso bairro de Tóquio. Existem até lojas no mapa, afinal Shibuya é famoso por ser um importante centro comercial. O polêmico Icebox é uma representação da costa da Ilha Bennett, localizada na Rússia, ao norte do Mar da Sibéria. 

Haven é Thimphu, a capital do Butão. Existe até um chaveiro para colocar na arma que possui o nome ‘Porto Seguro’ e na verdade é uma referência ao Tiger’s Nest, cartão postal do país. Ascent é uma versão flutuante de Veneza e também possui um chaveiro chamado Ascent Flutuante que é uma representação do Campanário de São Marcos.

FREE FIRE

O battle royale mobile lançado em 2017 também tem as suas referências. 

O mapa Kalahari, por exemplo, tem o nome inspirado no deserto africano de 900 m². Na vida real, a maior parte do deserto está no território de Botswana, no sul do continente. Kalahari é uma palavra que significa “grande sede”. 

ATENÇÃO AOS DETALHES

Você pode jogar 200 horas e o jogo nunca vai te contar sobre esses detalhes, mas eles estão lá e são um exemplo de como o desenvolvimento de um game exige pesquisa e cuidado aos detalhes.

Na próxima vez que você puxar uma partida online, dê uma olhada no cenário ao redor, é bem possível que possa existir na vida real. Só cuidado para não morrer na partida enquanto estiver distraído, hein?

Conhece outra referência legal do mundo dos FPS? Deixa aí nos comentários que eu vou adorar conferir!

Henrique Danieli

Meu nome é Henrique Danieli, tenho 25 anos, sou formado em Jornalismo e estou cursando pós-graduação em Marketing. Sou Social Media Manager na Mentorama e apaixonado por games e tudo que envolve o mundo geek.
Inscreva-se em nosso blog

Não te mandaremos spam!
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jonas
Jonas
1 mês atrás

Ótimo texto. Parabéns ao escritor! 👏🏻👏🏻👏🏻 Deu até vontade de jogar mais um pouco hoje.