Filmes para mulheres que querem programar

Filmes para mulheres que querem programar

Mulheres na tecnologia: conheça 5 filmes e documentários direcionados para mulheres que desejam começar a programar!

Nós reunimos 5 filmes e documentários que buscam inspirar mulheres que desejam ingressar no mercado da tecnologia. Continue lendo e saiba quais são eles!

1- Estrelas além do tempo (2016)

Lançado em 2016, o filme “Estrelas além do tempo” retrata a história real de três cientistas afro-americanas que trabalharam no Centro de Pesquisas Langley da NASA, localizado na cidade de Hampton, no estado da Virginia: Katherine Johnson e Dorothy Vaughan, matemáticas, e Mary Jackson, matemática que viria a se tornar engenheira.

O longa se passa no começo da década de 60, onde os Estados Unidos e a União Soviética brigavam pela corrida espacial. Os soviéticos largaram na frente quando Iuri Gagarin fez a órbita da Terra em abril de 1961.

Quase um ano depois, em fevereiro de 1962, o norte-americano John Glen ultrapassou na disputa dando três voltas na órbita terrestre. Porém, o programa espacial não seria um sucesso sem o trabalho de um trio de mulheres negras. Vale lembrar que nessa época as leis de segregação racial nos EUA ainda estavam em vigor.

Mary Jackson (1921 – 2005), interpretada por Janelle Monáe, trabalhava analisando dados dos experimentos de voo e túneis de ventos. Além de ajudar outras mulheres a promoverem suas carreiras científicas dentro da NASA.

Katherine Johnson (1918 – 2020), interpretada por Taraji P. Henson, começou trabalhando nos testes de voo, mas após os soviéticos darem o primeiro passo, John Glen pediu para ela fazer a análise de trajetória para a sua missão, a Freedom 7.

Dorothy Vaughan (1910 – 2008), interpretada por Octavia Spencer, foi a primeira supervisora negra da NACA (agência anterior à NASA) e uma das únicas mulheres a estarem no posto. Ela garantia que as funcionárias recebessem promoções e aumentos merecidos, além de ser programadora especialista em FORTRAN, uma linguagem computacional da época.

2- Code Girl (2015)

Com o intuito de incentivar mulheres a programar, o Google e a diretora Lesley Chilcott decidiram lançar um documentário chamado “Code Girl” que está disponível gratuitamente no site de streaming de vídeo do gigante da web. 

O filme documenta a vida de jovens mulheres de diversos países que participaram do desafio Google Technovation 2015, que reúne times de meninas de 10 a 18 anos e alguns mentores para desenvolver aplicativos de celular que solucionem um problema social.

O objetivo da diretora é inspirar meninas a ingressarem na carreira de programação, capacitando-as com o conhecimento necessário e, principalmente, conscientizando que garotas possam aprender a codificar e desenvolver aplicativos que melhorem o mundo. 

Code Girl também destaca o cenário brasileiro ao mostrar a trajetória do time de meninas de Recife que foram até a final da competição em São Francisco em junho de 2015. O documentário foi lançado em diferentes idiomas, incluindo hindi, inglês e português.

3- She Started It (2016)

Seguindo cinco mulheres ao longo de dois anos enquanto, montam equipes, trazem produtos ao mercado, fracassam e começam de novo, She Started It leva os espectadores a uma montanha-russa global de São Francisco ao Mississippi, França e Vietnã.

Ao longo de seu desenvolvimento, She Started It obteve perspectivas gerais de mulheres como a investidora Joanne Wilson; Megan Smith, CTO da Casa Branca; Debbie Sterling, CEO da GoldieBlox; e Ruchi Sanghvi, a primeira engenheira do Facebook.

Por meio de uma narrativa íntima e voltada para a ação, She Started It explora as raízes culturais da sub-representação feminina no empreendedorismo – incluindo a dúvida generalizada, o medo do fracasso e a aversão ao risco entre as mulheres jovens. 

Além disso, o filme também expõe as realidades estruturais que as mulheres enfrentam ao se tornarem empresárias, incluindo a falta de modelos femininos e investidores, e a persistente escassez de fundos de capital de risco disponibilizados para empresas lideradas por mulheres.

4- CODE: Debugging the Gender Gap (2015)

Nesse documentário, a diretora Robin H. Reynolds busca inspirar jovens mulheres a seguirem carreira na ciência da computação ao descrever perfis de mulheres bem sucedidas na programação.

CODE é um documentário de longa-metragem extremamente relevante que visa explicar por que mulheres não estão buscando carreiras em ciência da computação, apesar das oportunidades lucrativas de trabalho e da alta demanda por programadores.

Segundo o documentário, muitos fatores contribuem para essa carência, incluindo estereótipos culturais, falta de modelos de comportamento, acesso limitado à educação em ciência da computação, sexismo e barreiras socioeconômicas. 

Além disso, o documentário CODE explora como a tecnologia seria diferente se um campo mais diverso de programadores codificasse os aplicativos e dispositivos dos quais a sociedade depende.

Além do documentário, foi idealizado um projeto, o She ‘s Coding, que fornece educação, recursos e diretrizes acionáveis ​​para quem deseja aprender a codificar ou ajudar a fomentar a lacuna de gênero no campo da ciência da computação.

5- Go Against the Flow (2015)

Este documentário mostra mulheres que desafiaram as chances de se tornarem empresárias de sucesso criando e construindo empresas iniciantes que se tornaram empreendimentos comerciais extremamente promissores. 

No mundo dominado pelos homens de tecnologia e startups, essas jovens demonstraram sua inteligência, impulso, determinação, resiliência e coragem para ter sucesso. 

Elas compartilham suas percepções sobre como se tornar empreendedoras bem-sucedidas, desde começar a conceituar, construir tecnologia, contratar, obter financiamento e escalar até finalmente administrar a vida profissional.

Go Against the Flow, “Vá contra o fluxo” em tradução livre, está na lista de 5 filmes para mulheres em tecnologia e empreendedorismo da Hackbright Academy.

Esses são apenas alguns dos filmes e documentários que reunimos com o intuito de engajar e estimular mulheres que queiram iniciar carreira em programação.

Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio do IBGE, só 20% dos profissionais que atuam no mercado de TI são mulheres. Mais do que nunca, devemos incentivar mulheres a darem forma ao sonho de entrar na área da tecnologia! 

REDAÇÃO MENTORAMA

Escrevemos sobre conceitos e notícias do mundo do design, programação, desenvolvimento de jogos, educação, desenvolvimento pessoal, carreira e negócios.
Inscreva-se em nosso blog

Não te mandaremos spam!
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments