Categorias
Gamedev

Game Developer: saiba tudo sobre a profissão e carreira!

Já pensou em se divertir enquanto trabalha? Apesar de parecer um sonho distante, a profissão de Game Developer existe para nos provar o contrário. Além de ser uma carreira extremamente promissora, versátil e divertida, a área de Desenvolvimento de Games é muito bem remunerada.

Algum dia você já se perguntou quem é o responsável pelo desenvolvimento dos jogos que você utiliza? Se não, agradeça ao Game Developer! Ele é responsável por transformar o conceito de um jogo em algo jogável a partir do framework inicial e dos conceitos visualizados pelo Game Designer. Continue lendo e saiba mais sobre!

Game Developer: o que faz?

Ao contrário do que muitos pensam, a indústria de games engloba uma série de profissionais, entre eles: artistas plásticos, roteiristas, designers, produtores executivos, engenheiros, dubladores, ilustradores, desenvolvedores de games e diversas outras profissões. 

Os jogos nada mais são do que um imenso compilado de linhas de código de programação, por isso, o trabalho dos desenvolvedores é escrever milhares de linhas de código e testar seu progresso para transformar histórias incríveis em um jogo bem produzido.

Em resumo, o Game Developer é quem escreve os códigos que fazem o jogo funcionar. Este profissional vai definir a velocidade com que o jogo vai rodar, como os personagens se deslocam e também é ele que vai resolver possíveis bugs.

O trabalho do Game Developer é extremamente minucioso, afinal, a linguagem de programação exige um bom domínio, já que basta um pequeno erro de digitação para travar todo o desenvolvimento do game. 

Para os entusiastas de plantão, a boa notícia é que a rotina dos desenvolvedores de games não se resume apenas a ficar horas na frente do computador. Os profissionais da área contam com momentos repletos de união e diversão, isso porque, não há como não se divertir enquanto joga!

Game Developer: qual é o perfil?

Antes de mais nada, os profissionais que desejam ingressar no mercado devem estar preparados para enfrentar muitas horas de “mão na massa”.

Como sabemos, os cronogramas e as datas de lançamento são muito apertadas e, acima de tudo, muito esperadas pelos fãs. Diante disso, uma das características mais necessárias para ingressar neste mercado é a resiliência e a obstinação.

Além de ter muita dedicação e saber lidar com as altas demandas, um Desenvolvedor de Games precisa:

  • Saber trabalhar em equipe;
  • Ter um alto domínio técnico específico;
  • Ser curioso e conhecer mais de uma plataforma de desenvolvimento;
  • Ser comprometido com entregas e responsabilidades.

Game Developer: como é o mercado de trabalho?

Já fazem mais de 40 anos desde que os primeiros videogames chegaram ao Brasil e, mesmo depois de tanto tempo, o mercado de games está em constante ascensão e as pessoas passaram a se interessar não só pelas missões de games, mas também pela arte de desenvolvê-los.

Hoje, a indústria de jogos é a que mais fatura no mundo. Em 2019, o mercado de games faturou 152 bilhões de dólares, ultrapassando a indústria fonográfica e cinematográfica juntas.

Engane-se quem pensa que apenas o mercado de desenvolvimento de jogos e consoles não param de crescer. Os games competitivos, chamados de e-sports, também estão em constante crescimento, tendo em vista que alguns campeonatos pagam prêmios equivalentes aos pagos por grandes torneios de tênis do circuito profissional. 

O mercado está crescendo e vai continuar se ampliando, principalmente no pós-pandemia, onde esse mercado é considerado uma das profissões do futuro. A remuneração de um Game Developer pode começar com um salário base de R$ 2.550 por mês, enquanto o salário máximo pode exceder R$ 16.000 por mês.

Game Developer: onde posso trabalhar?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, para se tornar um desenvolvedor de games, não é necessário ter necessariamente um chefe ou trabalhar em uma empresa. Você pode trabalhar de forma independente, sendo o seu próprio chefe e definindo sua carga de trabalho.

Você também pode atuar como freelancer, trabalhando por contrato, sem vínculos empregatícios, ou seja, prestando serviços para uma empresa de games.

De forma geral, o profissional normalmente encontra oportunidades em: Estúdios de desenvolvimento de jogos, Projetos de agências de publicidade e de modo independente, disponibilizando games em lojas de aplicativos.

Além disso, o profissional pode atuar desenvolvendo jogos para:

  • Área da educação: utilizado como ferramenta de ensino, utilizado em educação a distância;
  • Área da saúde: utilizado desde treinamento de funcionários até o apoio a pacientes em processo de reabilitação motora;
  • Simulações: utilizado como representação de atividades da vida real, muito usado por pilotos e militares.

Game Developer: como posso me tornar um?

Se você é um apaixonado por games e deseja transformar histórias incríveis em um jogo bem produzido, saiba que você está no caminho certo! 

Independentemente do seu nível de conhecimento, a Mentorama oferece todo o suporte necessário para maximizar suas habilidades e transformá-los em sucesso.

Com o Profissão Game Developer, você terá acesso a 3 cursos diferentes: Game Developer, Photoshop e Unreal Engine 4. A partir deles, você vai mergulhar no processo de criação de jogos na prática, entender a mecânica dos jogos mais populares, criar personagens, paisagens e definir a dinâmica do seu espaço de jogo, sempre recebendo dicas de profissionais do setor.

São 18 meses aprendendo na prática, treinamento com trabalhos reais e mentores líderes no mercado para acompanhar seu progresso de perto, corrigindo tarefas e dando dicas exclusivas para o seu desenvolvimento profissional.

O curso foi especialmente desenvolvido para aqueles que amam games mas não conhecem nada da profissão, designers de jogos novatos que desejam expandir seus conhecimentos e para programadores de desenvolvimento de games que querem ir para um próximo nível. 

Sua expertise após o curso:

  • Gameplay: aprenda a criar um game dinâmico, para que os jogadores não fiquem entediados, trabalhando no enredo e nos personagens de heróis;
  • Equilíbrio: aprenda a criar regras que sejam justas para o jogador, equilibrando o sistema de desafios e recompensas;
  • Protótipo: aprenda o básico do mecanismo de game, saber como testar ideias para aprimorar o game, formular hipóteses e testá-las;
  • Mecanismo do jogo: aprenda como os dois melhores mecanismos atuais de game, Unreal Engine 4 e Unity, funcionam e como criar games com eles;
  • Trabalho em equipe: tenha uma ideia da estrutura do estúdio de criação e a função dos participantes do projeto e aprenda a falar a mesma língua que eles e a estabelecer decisões claras;
  • Lançamento: consiga analisar o mercado, aprenda a trabalhar com um editor e calcular riscos, promovendo um projeto e desenvolvendo um modelo financeiro;
  • Blueprints: aprenda a escrever lógica de jogo sem código usando a ferramenta Unreal Engine integrada;
  • Assets: importe objetos prontos para o seu projeto, organizando-os no sistema e coletando locais rapidamente;
  • Animação: domine a animação esquelética adequada para objetos orgânicos, aprenda a animar com Blueprint;
  • Efeitos e partículas: ilumine o game adicionando elementos visuais e destruição processual.

Incrível, não? Agora é a hora de tirar seus sonhos do papel e embarcar em uma carreira que pode te proporcionar no mínimo muito sucesso!

Nosso objetivo é transformar os seus desafios e dificuldades em solução! Entre em contato conosco agora mesmo e saiba como podemos ajudá-lo a se tornar um Game Developer.

Categorias
Design

5 TED Talks que todo profissional criativo deveria assistir

TED Talks (Tecnologia, Entretenimento e Design) é uma conferência que mudou completamente a forma de nos comunicarmos durante uma apresentação em público. Em geral, são falas curtas, de até 18 minutos, que têm como principal objetivo propagar ideias que valem a pena divulgar.

As palestras são realizadas em um ambiente descontraído e os palestrantes utilizam uma linguagem simples e clara, para que até uma criança possa entender. Além disso, a maioria das gravações é postada online e legendada em dezenas de idiomas. 

Para os entusiastas de plantão e futuros profissionais da área criativa, selecionamos cinco TED Talks sensacionais que podem contribuir, motivar, engajar e inspirar qualquer profissional criativo. Continue lendo e acompanhe quais são eles!

3 Ways Good Design Makes You Happy

Quem apresenta?

O cientista cognitivo e crítico de design, Don Norman, estuda como as pessoas reais interagem com o design, explorando o abismo entre o que um designer pretende e o que uma pessoa normal realmente deseja. Seu trabalho resultou em alguns livros clássicos, incluindo “The Design of Everyday Things”.

Qual é o assunto?

Don Norman volta seu olhar para a beleza, a diversão, o prazer e a emoção, ao olhar para um design que deixa as pessoas felizes. Por meio de referências e uma linguagem descontraída, ele nomeia os três sinais emocionais que um produto bem projetado deve atingir para obter sucesso.

The Power of Design

Quem apresenta?

JD Hooge é co-fundador e diretor de criação da Instrument, uma empresa de marca e experiência de inovação digital. A equipe de mais de 200 tecnólogos criativos da Instrument ajuda organizações como Google, Nike, One Medical & Mercy Corps a navegar nas complexidades da inovação. 

Qual é o assunto?

Nesta palestra comovente e rica em pesquisas, JD Hooge, inspira um apelo à ação para que todos os designers façam uma diferença significativa no mundo. Ele diz que o design deve ser pensado como um “super poder” e, mais do que nunca, é hora de assumirmos a responsabilidade pelas coisas que criamos. Com nosso bem-estar digital em risco, os designers têm o privilégio e o fardo de exercer mais poder e influência do que nunca.

Simplicity sells

Quem apresenta?

David Pogue foi o colunista de tecnologia semanal do New York Times de 2000 a 2013. Ele é cinco vezes vencedor do Emmy por suas histórias no CBS News Sunday Morning, um autor de best sellers do New York Times, cinco vezes palestrante do TED e apresentador do 20 NOVA especiais de ciências na PBS. 

Qual é o assunto?

Nessa palestra de 2006,  David Pogue aponta os piores infratores do design de interface da tecnologia e fornece exemplos encorajadores de produtos de sucesso. Em uma linguagem descontraída e divertida, ele canta para o público no fim de sua apresentação.

Steal Like An Artist

Quem apresenta?

Austin Kleon é um escritor que desenha, além de ser autor do best-seller do New York Times de uma trilogia de livros ilustrados sobre criatividade na era digital: “Steal Like An Artist”, “Show Your Work!”, “Keep Going”, “Roube como um diário do artista” e “Newspaper Blackout”.

Qual é o assunto?

Austin Kleon, faz sua apresentação baseado em seu livro, Steal Like An Artist, onde ele reproduz 10 coisas que ele gostaria de ter ouvido quando estava começando sua carreira como escritor e artista.

How Airbnb Designs For Trust 

Quem apresenta?

Joe Gebbia é designer, empresário, cofundador e Diretor de Produto da Airbnb. Em 2007, Joe e seus co-fundadores Brian Chesky e Nathan Blecharczyk transformaram o Airbnb em uma grande força revolucionária para a indústria da hospitalidade, criando uma nova economia para milhões de pessoas em 190 países ao redor do mundo.

Qual é o assunto?

Joe Gebbia fundou uma empresa com a ideia de que as pessoas poderiam confiar o suficiente para ficarem nas casas de pessoas desconhecidas e, nesse momento, muitas pessoas se perguntam: como ele superou o viés de perigo-estranho? É sobre isso que Gebbia fala nessa palestra incrível onde ele cita a importância de um bom design.

Independentemente do seu tempo de carreira, procurar boas referências no mercado e manter-se atualizado é sempre de grande valia. 

Esperamos que esse compilado de TED Talks possa te ajudar a dar um upgrade na sua carreira e lembre-se: essas palestras valem o “play” e a hora de ingressar em uma carreira de sucesso é aqui e agora.

Categorias
Programação

Desenvolvedor front-end: o que é, o que faz e como se tornar um?

Sabe quando você acessa um site e fica impressionado com a usabilidade e experiência do usuário? Então, agradeça ao Desenvolvedor Front-End! Esse profissional é responsável por criar a interface de utilização de um site ou aplicação web, proporcionando uma melhor experiência para você.

O Desenvolvedor Front-End desempenha um papel de grande importância, afinal, ter um sistema super funcional no back-end é interessante, mas se ele não for atraente e de fácil acesso, de nada adianta. E é justamente nesse cenário que o front-end atua facilitando a usabilidade de um sistema web e mudando a experiência do usuário para melhor.

Se você está em busca de uma recolocação ou até mesmo de um desafio, tenho uma boa notícia para você: A carreira de Desenvolvedor Front-End só tem crescido e é uma ótima escolha para quem deseja investir em uma área promissora e bem remunerada. Continue lendo e saiba mais!

Desenvolvedor front-end e back-end: qual a diferença?

Antes de falarmos sobre o que é um desenvolvedor front-end, é importante esclarecermos a diferença entre front-end e back-end. Se, dentro de uma aplicação, você souber distinguir a diferença entre esses termos, já é um bom começo!

Quando falamos de back-end, estamos falando da parte que está por trás das interfaces, se comunicando com os servidores, guardando informação no banco de dados e definindo as regras do negócio.

Enquanto front-end refere-se a todo o conteúdo que fica visível para o público, ou seja, ele é responsável pela interação com o usuário. Para exemplificar, o layout, efeitos visuais e até mesmo a validação dos formulários do site que você visita são feitas por um Desenvolvedor Front-End. 

Apesar de serem diferentes, ambos se complementam e são igualmente importantes para o desenvolvimento de um site ou aplicação web de qualidade.

Desenvolvedor front-end: o que faz?

Falando especificamente em front-end developers, esses profissionais possuem o importante papel de criar páginas utilizando HTML, CSS e Javascript, normalmente utilizando um layout pré-definido por um designer. Ou seja, ser um Desenvolvedor Front-End exige muito trabalho em equipe com o intuito de oferecer a melhor experiência possível ao usuário.

Ser um Desenvolvedor Front-End requer muita atenção aos detalhes e, principalmente, espírito de equipe. O objetivo principal é garantir que o design esteja de acordo com o que foi pré-definido, ou que a usabilidade esteja fluida. O usuário é a prioridade desses profissionais, afinal, a experiência do usuário é crucial para mantê-lo em seu site.

O Desenvolvedor Front-End pode desempenhar várias funções dentro de uma empresa, entre as que mais comuns, podemos citar:

  • Garantindo o bom desempenho visual de um site;
  • Assegurando que os elementos gráficos do site fiquem semelhantes aos que foram pré-definidos pelo designer;
  • Verificando se a relação entre layout e código produzido está compatível e faz sentido;
  • Organizando a disposição textual e gráfica de um site/aplicação web;
  • Harmonizando a estrutura da página, equilibrando elementos visuais, como tamanho do cabeçalho, fonte da letra, tamanho do rodapé, número de colunas textuais/gráficas, cores e outros;
  • Proporcionando uma boa velocidade de processamento das informações visuais pelos diferentes hardwares.

Desenvolvedor front-end: onde posso trabalhar?

A carreira de Desenvolvedor Front-End está entre as profissões mais promissoras do mercado, consequência dos investimentos em transformação digital nas empresas e a disseminação de startups. 

A profissão de Desenvolvedor Front-End foi a mais procurada no Brasil por 3 anos consecutivos e, segundo o Indeed.com, o salário médio de um front-end no Brasil é de R$ 79.735 por ano!

Um Programador Front-End Júnior ganha em média R$ 4.008,91, o nível pleno recebe cerca de R$ 4.615,18, já o sênior tem uma média salarial de R$ 6.928,45 mensais de acordo com pesquisa do Salario.com.br junto aos dados oficiais do CAGED de profissionais demitidos no mercado de trabalho.

Segundo o levantamento da Brasscom, a procura por profissionais na área de TI é de 420 mil pessoas, até 2024, no país. Atualmente, segundo a entidade, o Brasil forma 46 mil profissionais com perfil tecnológico por ano, ou seja, sobram vagas e falta mão de obra.

Assim como ocorre com outros cargos na área de TI, o desenvolvedor front-end pode atuar em empresas de todos os tamanhos. Apesar disso, é mais comum encontrá-los em empresas mais novas, como startups.

Há espaço em várias áreas, como grandes empresas de software, departamentos de TI corporativos e empresas de serviços. Esses profissionais também podem atuar como consultores e autônomos para pequenas e médias empresas. Além de também haver espaço no meio acadêmico, para a realização de pesquisas. 

Esses profissionais tendem a encontrar oportunidades em grandes empresas de desenvolvimento de softwares e também em outros setores. O mercado automotivo, por exemplo, precisa de desenvolvedores para seus computadores de bordo. Além disso, é possível atuar de forma autônoma.

Desenvolvedor front-end: como se tornar um?

Para os entusiastas e futuros desenvolvedores, a boa notícia é que o mercado de trabalho para profissionais de front-end é altamente promissor e bem remunerado. Além disso, há muitas possibilidades de vagas na área, podendo atuar desde os níveis de conhecimento mais básicos, até o modo mais avançado.

A profissão de Desenvolvedor Front-End foi a mais procurada no Brasil por 3 anos consecutivos e, segundo o Indeed.com, o salário médio de um front-end no Brasil é de R$ 79.735 por ano!

Se você está em dúvida ou não sabe por onde começar, fique tranquilo! Nós oferecemos todo o suporte necessário para maximizar suas habilidades e transformá-los em sucesso.

Com o Desenvolvimento Front-End: do zero ao PRO, você aprenderá a marcação com o HTML, a estilização com o CSS e os básicos de interatividade com o JavaScript. Além disso, você terá a oportunidade de criar interfaces fáceis de usar e rápidas de carregar, que os usuários vão adorar.

São 6 meses de aprendizagem na prática, 20 módulos descrevendo cada passo, os melhores profissionais do mercado como mentores para acompanhar o seu projeto e 3 projetos para incluir no seu portfólio!

Após a conclusão do curso, você estará apto para:

  • Criar interfaces convenientes e apresentar a informação da melhor maneira possível;
  • Criar páginas web que serão igualmente lindas em qualquer navegador e qualquer dispositivo, desktop ou aparelho móvel;
  • Aprender as técnicas para prevenir o carregamento lento;
  • Dominar o JavaScript e habilitá-lo em suas interfaces para que sejam funcionais e interativas;
  • Aprender a trabalhar com o sistema de controle de versões — aplicar câmbios ao projeto ao mesmo tempo com outros desenvolvedores;
  • Tornar as páginas web mais atrativas e melhorar o UX com animações.

Incrível, não? Agora é a hora de tirar seus sonhos do papel e embarcar em uma carreira que pode te proporcionar no mínimo muito sucesso!

Nosso objetivo é transformar os seus desafios e dificuldades em solução! Entre em contato conosco agora mesmo e saiba como podemos ajudá-lo a se tornar um Desenvolvedor Front-End de sucesso.